Fibromialgia Curitiba, Paraná

Procurando por mais informações sobre Fibromialgia em Curitiba? Encontre aqui endereços e telefones de hospitais e médicos em Curitiba que podem esclarecer suas dúvidas sobre Fibromialgia. Aproveite para conseguir dicas e mais informações com nossos artigos informativos e conhecer os hospitais e médicos de sua região.

Lucas Darci Segatti
(41) 9228-9178
Av. Iguacu 820
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ivan Jose Paredes Bartolomei
(41) 3077-4792
Rua da Paz 195 - Sala 1B
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Aramis Renato Budal Guimaraes
(95) 3132-2245
R Martin Afonso 705
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Cristina Singer Wallbach
(41) 3283-1154
Rua Dr. Marcelinoogueira 215 - 5ºAndar Sala 23
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Cristina Hsin Wei Hsu Cleto
(41) 3035-5321
Rua Mendes Leitao 282
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Grau Clinicenter Pinheirinho
413-0168
R Amintas de Barros 990
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Aracy de Cassia Pucu Costa Pinheiro
(41) 3013-4976
Av Republica Argentina 452 - Sala 1002/1003
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
José Marcos
(41) 3345-4477
Rua Guararapes 2208 - Casa
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Benjamin Nogueira Campos Neto
(41) 3283-3044
Rua Alcidio Viana 837 - Edificio Galeno
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Irilea Cristina S. Settim
382-2153
R. Joao Angelo Cordeiro 770 - Sala 02
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Fibromialgia

Fibromialgia

Definição
A fibromialgia é uma síndrome comum que provoca dor por todo o corpo por longos períodos e pontos sensíveis nas articulações, nos músculos, nos tendões e em outros tecidos moles.
Foto: ADAM
FibromialgiaA fibromialgia também está relacionada à fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão, ansiedade e outros sintomas.
Causas, incidência e fatores de risco
A causa deste distúrbio é desconhecida. Embora nenhuma tenha sido realmente comprovada, as possíveis causas ou os desencadeadores da fibromialgia incluem:
Trauma físico ou emocional
Uma resposta anormal à dor. As áreas do cérebro responsáveis pela dor podem reagir de maneira diferente em pacientes com fibromialgia
Distúrbios do sono, que são comuns em pacientes com fibromialgia
Um micro-organismo infeccioso, como um vírus. Até o momento, nenhum vírus ou micro-organismo foi identificado
Homens e mulheres de todas as idades podem ter fibromialgia, mas a doença é mais comum em mulheres entre 20 e 50 anos.
As seguintes doenças podem acompanhar a fibromialgia ou imitar seus sintomas:
Dor crônica no pescoço ou nas costas
Síndrome da fadiga crônica
Depressão
Hipotireoidismo
Doença de Lyme
Distúrbios do sono
Sintomas
O principal sintoma da fibromialgia é a dor:
As localizações exatas da dor são chamadas de pontos sensíveis. Os pontos sensíveis se encontram no tecido mole da nuca, ombros, esterno, região lombar, quadris, canelas, cotovelos e joelhos. A dor então se espalha a partir dessas áreas
A dor é descrita como profunda, irradiante, persistente, aguda ou ardente e varia de leve a grave
As articulações não são afetadas, embora possa parecer que a dor venha das articulações
As pessoas com fibromialgia tendem a acordar com dores corporais e rigidez. Para alguns pacientes, a dor melhora durante o dia e aumenta novamente durante a noite, apesar de muitos pacientes terem dor ininterrupta durante o dia todo
A dor aumenta com atividade, clima frio ou úmido, ansiedade e estresse
Faça o teste do estresse
Fadiga e distúrbios do sono são observados em quase todos os pacientes com fibromialgia. Muitos se queixam de que não conseguem dormir ou continuar dormindo e se sentem cansados quando acordam.
Outros sintomas podem incluir:
Síndrome do intestino irritável com gases, alternando diarreia e constipação
Problemas de memória e dificuldade de pensar claramente
Dormência e formigamento de mãos e pés
Palpitações
Tolerância reduzida a exercícios
Estado de ânimo triste ou deprimido
Tensão ou enxaqueca
Exames e testes
O diagnóstico da fibromialgia requer um histórico de pelo menos três meses de dor generalizada, além de dor e sensibilidade em pelo menos 11 de 18 localizações de pontos dolorosos.
Esses pontos dolorosos incluem tecido fibroso ou músculos dos:
Braços (cotovelos)
Nádegas
Peito
Joelhos
Região lombar
Pescoço
Caixa torácica
Ombros
Coxas
Às vezes, são feitos exames de laboratório e radiografias para ajudar a confirmar o diagnóstico excluindo outras doenças que podem ter sintomas similares.
Tratamento
O tratamento deve concentrar-se não somente em aliviar os sintomas, mas também em ajudar os pacientes a sobrelevar seus sintomas.
Em geral, os tratamentos envolvem tentativa e erro:
Os pacientes podem começar com fisioterapia, exercício e métodos para reduzir o estresse
Se esses métodos não melhorarem os sintomas, um antidepressivo ou relaxante muscular poderá ser incluído no tratamento
Programas de orientação ao paciente chamados de terapia cognitiva-comportamental, que ajudam com técnicas para lidar com a doença, são uma parte importante do planejamento do tratamento
Muitas pessoas que sofrem de fibromialgia consideram úteis a ajuda de grupos de apoio
Ter uma dieta balanceada e evitar a cafeína podem ajudar nos distúrbios do sono e podem ajudar a reduzir a gravidade dos sintomas. Medidas relacionadas ao estilo de vida para melhorar a qualidade do sono podem ser eficazes para a fibromialgia. Consulte: Insônia
Reduzir o estresse e melhorar a capacidade de suportar sintomas dolorosos também podem ajudar a reduzi-los.
É recomendável melhorar a condição física por meio de exercícios:
A melhor maneira de iniciar um programa de preparo físico é começar com sessões curtas de somente alguns minutos de exercícios moderados de baixo impacto, como caminhar ou nadar
Aumente gradualmente a duração de cada sessão, conforme a tolerância Começar gradual e moderadamente pode ajudar você a se adaptar a um programa eficaz que você possa manter
Começar gradualmente ajuda a alongar e mobilizar músculos doloridos e estirados, o que pode ser aliviado por alongamentos e massagens leves, bem como acupressão, acupuntura e técnicas de relaxamento.
A terapia cognitiva normalmente dura de 6 a 20 sessões de 1 hora.
Durante essa terapia, as pessoas com fibromialgia aprendem a:
Lidar com pensamentos negativos
Manter um diário de seus sintomas e dores
Reconhecer o que agrava os sintomas
Procurar atividade agradáveis
Definir limites
O objetivo de usar medicação é melhorar o sono e aumentar a tolerância à dor. Os pacientes devem receber tratamentos medicamentosos juntamente com exercícios físicos, orientação e terapias comportamentais.
A duloxetina, a pregabalina e o milnaciprano são medicamentos aprovados especificamente para tratar a fibromialgia.
Entretanto, muitas outras drogas também são usadas para tratar a doença, incluindo:
Medicamentos anticonvulsivos
Outros antidepressivos
Relaxantes musculares
Analgésicos
Hipnóticos
Os casos graves de fibromialgia podem necessitar ser encaminhados a uma clínica de dor.
Evolução (prognóstico)
A fibromialgia é um problema comum e crônico. Às vezes, os sintomas melhoram. Outras vezes, os sintomas podem piorar e continuar por meses ou anos. O importante é procurar ajuda profissional, o que inclui uma abordagem multifacetada ao manejo e ao tratamento da doença. Não há nenhuma prova de que a síndrome de fibromialgia resulte em uma maior taxa de mortalidade.
Ligando para seu médico
Consulte um profissional da área da saúde se tiver sintomas de fibromialgia.
Prevenção
Não há prevenção comprovada para essa doença. Entretanto, com o passar dos anos, houve melhora no tratamento e no manejo da doença.
Referências
Abeles M, Solitar BM, Pillinger MH, Abeles AM. Update on fibromyalgia therapy. Am J Med. 2008;121:555-561.
Häuser W, Bernardy K, Üceyler N, Sommer C. Treatment of fibromyalgia syndrome with antidepressants. JAMA. 2009;301:198-209.
Wolfe F, Rasker JJ. Fibromyalgia. In: Firestein GS, Budd RC, Harris ED Jr., et al., eds. Kelley's Textbook of Rheumatology. 8th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2008:chap 38.
Wolfe F, Clauw DJ, Fitzcharles MA, Goldenberg DL, Katz RS, Mease P, et al. The American College of Rheumatology preliminary diagnostic criteria for fibromyalgia and measurement of symptom severity. Arthritis Care Res. 2010;62(5):600-610.
Atualizado em 14/2/2011, por: Michael E. Makover, MD is a professor and attending in rheumatology at the New York University Medical Center, New York, NY. Review provided by VeriMed Healthcare Network. Also reviewed by David Zieve, MD, MHA, Medical Director, A.D.A.M., Inc.
Todas as doenças

A A.D.A.M., Inc. é reconhecida pela URAC, também chamada de American Accreditation HealthCare Commission (Comissão de Reconhecimento de Cuidados de Saúde) – www.urac.org. O programa de reconhecimento da URAC é uma auditoria independente com o objetivo de verificar se a A.D.A.M. segue padrões rigorosos de qualidade e responsabilidade. A A.D.A.M. está entre as primeiras empresas a conquistar essa importante distinção para informações e serviços de saúde on-line. Saiba mais sobre a política editorial, o processo editorial e a política de privacidade da A.D.A.M. A empresa é também um membro fundador da Hi-Ethics e segue os princípios da Health on the Net Foundation (Fundação da Saúde na Internet) – www.hon.ch.
As informações aqui fornecidas não poderão ser usadas durante nenhuma emergência médica, nem para o diagnóstico ou tratamento de doenças. Um médico licenciado deverá ser consultado para o diagnóstico ou tratamento de todas as doenças. Ligue para 192 em caso de emergências médicas. Os links para outros sites são fornecidos apenas a título de informação e não constituem um endosso a eles. 1997- 2011 A.D.A.M., Inc. A reprodução ou distribuição das informações aqui contidas é estritamente proibida.