Lesão na Medula Espinhal Curitiba, Paraná

Procurando por mais informações sobre Lesão na Medula Espinhal em Curitiba? Encontre aqui endereços e telefones de hospitais e médicos em Curitiba que podem esclarecer suas dúvidas sobre Lesão na Medula Espinhal. Aproveite para conseguir dicas e mais informações com nossos artigos informativos e conhecer os hospitais e médicos de sua região.

José Marcos
(41) 3345-4477
Rua Guararapes 2208 - Casa
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Aracy de Cassia Pucu Costa Pinheiro
(41) 3013-4976
Av Republica Argentina 452 - Sala 1002/1003
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Aramis Renato Budal Guimaraes
(95) 3132-2245
R Martin Afonso 705
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Cristina Singer Wallbach
(41) 3283-1154
Rua Dr. Marcelinoogueira 215 - 5ºAndar Sala 23
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Cristina Hsin Wei Hsu Cleto
(41) 3035-5321
Rua Mendes Leitao 282
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Grau Clinicenter Pinheirinho
413-0168
R Amintas de Barros 990
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Lucas Darci Segatti
(41) 9228-9178
Av. Iguacu 820
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ivan Jose Paredes Bartolomei
(41) 3077-4792
Rua da Paz 195 - Sala 1B
Curitiba, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Benjamin Nogueira Campos Neto
(41) 3283-3044
Rua Alcidio Viana 837 - Edificio Galeno
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Irilea Cristina S. Settim
382-2153
R. Joao Angelo Cordeiro 770 - Sala 02
Sao Jose Dos Pinhais, Paraná
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Lesão na medula espinhal

Lesão na medula espinhal

Foto: ADAM
Anatomia da espinhaDefinição
A medula espinhal contém os nervos que transportam mensagens entre seu cérebro e o corpo. A medula passa através do pescoço e pelas costas. Uma lesão na medula espinhal é muito grave porque pode causar perda de movimento (paralisia) abaixo do local da lesão.
A coluna vertebral fornece suporte estrutural para o tronco e arredores e protege a medula espinhal. Também fornece pontos de fixação para os músculos das costas e para as costelas.
Os discos vertebrais servem como amortecedores durante atividades como caminhar, correr e saltar. Também permitem que a espinha seja flexionada e se estendida.
A coluna vertebral é dividida em diversas seções. As vértebras cervicais compõem o pescoço. As vértebras torácicas compõem a seção do peito e têm as costelas conectadas. As vértebras lombares são as vértebras restantes abaixo do último osso torácico e a parte superior do sacro. As vértebras do sacro são cercadas pelos ossos da pélvis e o cóccix representa a vértebra terminal ou cauda vestigial.
O sistema nervoso central é formado pelo cérebro e pela medula espinhal. O cérebro funciona para receber impulsos nervosos da medula espinhal e nervos cranianos. A medula espinhal contém os nervos que transportam mensagens entre o cérebro e o corpo.
Uma lesão na medula espinhal pode ocorrer quando há danos às células dentro da medula ou quando os tratos de nervos que correm para cima e para baixo na medula são lesionados.
Foto: ADAM
Coluna vertebralConsiderações
Quando alguém sofre uma lesão na coluna vertebral, um movimento adicional pode prejudicar ainda mais os nervos na medula e pode às vezes significar a diferença entre vida e morte.
Uma lesão grave na medula espinhal normalmente causa perda de sensibilidade e paralisia, perda de
movimento e do controle voluntário sobre os músculos do corpo. O dano na medula espinhal também causa perda da função de reflexo abaixo do ponto da lesão, interrompendo funções corporais como respiração, controle intestinal e controle da bexiga.
No caso de uma lesão espinhal, atendimento médico imediato pode ajudar a minimizar mais danos à medula. Se achar que alguém tenha sofrido uma lesão na coluna vertebral, não movimente a pessoa lesionada nem mesmo um pouco, a menos que seja absolutamente necessário (por exemplo, se precisar retirar alguém de um automóvel em chamas). Se você não tem certeza se uma pessoa está com a coluna vertebral lesionada, suponha que ela esteja.
Foto: ADAM
Lesão na medula espinhalCausas
Ferimento de bala ou por faca
Trauma direto no rosto, no pescoço, na cabeça, no peito ou nas costas (por exemplo, um acidente de automóvel)
Acidente em mergulho
Choque elétrico
Contorção extrema da parte central do corpo
Queda sobre a cabeça durante uma lesão esportiva
Queda de uma grande altura
Sintomas
Cabeça mantida em posição incomum
Dormência ou formigamento que se espalha por um braço ou perna
F raqueza
Dificuldade para caminhar
Paralisia (perda de movimento) de braços ou pernas
Falta de controle sobre a bexiga ou os intestinos
Choque (pele pálida, fria e úmida, lábios e unhas roxas ou azuladas, ação extremamente confusa e semiconsciente)
Falta de agilidade (inconsciência)
Pescoço rígido, dor de cabeça ou dor no pescoço
Primeiros socorros
O principal objetivo é manter a pessoa imóvel e segura até que chegue ajuda médica.
Vo cê ou alguém mais deve ligar para 192
Mantenha a cabeça e o pescoço da pessoa na posição na qual ela foi encontrada. NÃO tente reposicionar o pescoço. Não permita que o pescoço seja curvado ou virado
Não permita que a pessoa se levante ou caminhe sem auxílio
SE A PESSOA ESTIVER IMPASSÍVEL
Verifique a respiração e a circulação da pessoa. Se necessário, comece a respiração artificial e a reanimação cardiopulmonar
NÃO incline a cabeça para trás quando estiver tentando abrir as vias respiratórias. Em vez disso, coloque seus dedos na mandíbula em cada lado da cabeça. Eleve a mandíbula para a frente
SE VOCÊ PRECISAR ROLAR A PESSOA
Não vire a pessoa a menos que ela esteja vomitando ou se engasgando com sangue, ou se você precisar verificar a respiração.
São necessárias duas pessoas
Uma pessoa deve se posicionar na cabeça da pessoa e a outra ao lado dela
Mantenha a cabeça, o pescoço e as costas da pessoa alinhados enquanto você a vira para um lado
Foto: ADAM
Virada com duas pessoas – sérieProcedimento, parte 1
Para virar uma pessoa ferida, são necessárias duas pessoas. Uma pessoa fica parada junto à cabeça e a outra, ao lado da vítima. A pessoa ao lado coloca uma mão no ombro da vítima e a outra na região da coxa. A pessoa junto à cabeça da vítima estabiliza a cabeça e o pescoço para que nenhum dos dois se curve, mova ou gire em qualquer direção.
Procedimento, parte 2
Com o movimento coordenado da equipe de resgate, a vítima é cuidadosamente virada de lado enquanto a cabeça e o pescoço são apoiados e mantidos alinhados. Prestar muita atenção ao atendimento de uma vítima ferida pode ajudar a evitar danos à medula espinhal.O que não fazer:
NÃO curve, gire ou levante a cabeça ou o corpo da pessoa
NÃO tente mover a pessoa antes da ajuda médica chegar, a menos que seja absolutamente necessário
NÃO remova o capacete se houver suspeita de uma lesão na coluna vertebral
Ligue imediatamente para o médico se:
Ligue para o número de emergência local (como 192) se tiver havido qualquer lesão que afete o pescoço ou a medula espinhal. Mantenha a pessoa absolutamente imóvel. A menos que haja um perigo urgente, mantenha a pessoa na posição em que foi encontrada.
Consulte o Guia de Primeiros Socorros do iG Saúde
Prevenção
Use cintos de segurança
Evite beber álcool e dirigir
Evite mergulhar em piscinas, lagos, rios e outros corpos d’água, especialmente se não puder determinar a profundidade da água ou se a água não for transparente
Evite motocicletas e veículos para todos os terrenos
Evite deter ou avançar em uma pessoa com sua cabeça
Referências
Hockberger RS, Kaji AH, Newton EJ. Spinal injuries. In: Marx J, ed. Rosen’s Emergency Medicine: Concepts and Clinical Practice. 6th ed. St Philadelphia, Pa: Mosby Elsevier; 2006:chap 40.
Hoyt DB, Coimbra R, Acosta J. Management of acute trauma. In: Townsend CM, Beauchamp RD, Evers BM, Mattox KL, eds. Sabiston Textbook of Surgery. 18th ed. Philadelphia, Pa: Saunders Elsevier; 2007:chap 20.
DeLee JC, Drez, Jr., D, Miller MD, eds. DeLee and Drez’s Orthopaedic Sports Medicine. 2a. ed. Philadelphia, Pa: Saunders; 2003:798,837.

Todas as doenças